913 124 104 (08.00h às 23.00h) geral@ptmedical.pt
Dados Para Fatura... Clique Aqui

CONSULTA DE PSIQUIATRIA

Serviço Disponível ao Domicílio

Serviço Disponível na Clínica

CONSULTA DE PSIQUIATRIA AO DOMICÍLIO E NA CLÍNICA

O psiquiatra é um especialista vocacionado para o tratamento de problemas do foro mental.

Na consulta de Psiquiatria existe o propósito de estabelecer um diagnóstico clínico e elaborar uma proposta terapêutica em acordo com o doente,  numa perspectiva de acção terapêutica diferenciada.

Podem ser sugeridas terapêuticas farmacológicas e/ou orientação para consultas de psicoterapia (efectuadas por psiquiatra ou psicólogo), ou consultas de psicologia com o intuito de serem realizados de testes neuropsicológicos que podem ajudar a confirmar uma hipótese diagnóstica.

A medicação pode ser associada, muitas vezes com o objetivo de facilitar o processo psicoterapêutico. Sabe-se que a associação destas duas modalidades terapêuticas (medicação e psicoterapia) é mais eficaz do que cada uma separadamente.

O psiquiatra também está particularmente atento à interligação entre o corpo e a mente. Isto é importante porque algumas doenças psiquiátricas têm também sintomas físicos e algumas doenças físicas apresentam sintomatologia psiquiátrica.  Por essa razão é importante de qualquer perturbação psicológica dever ser avaliada por um psiquiatra, para ser efectuado o despiste de eventual causalidade orgânica subjacente e muitas vezes não detectada.

A PT Medical tem ao seu dispor médicos e terapeutas de qualidade, prontos para o acompanhar de acordo com a sua conveniência, por forma a dar resposta às suas necessidades, tanto na nossa clínica como ao domicílio.

Consulta de Psiquiatria / Psiquiatra ao Domicílio
4.9 (97.93%) 29 votos

PROBLEMAS MAIS FREQUENTES NA CONSULTA

DEPRESSÃO

A síndrome depressiva é, sem dúvida, um dos problemas de saúde mais frequentes na consulta de psiquiatria.

Considerada uma perturbação na qual são experienciadas emoções de Angústia, Tristeza, Frustração, Desânimo, Desmotivação, resultantes de experiências traumáticas vividas no passado, que não foram ultrapassadas de forma saudável.

Vivemos muito tempo com este peso, com estas sensações e sentimentos, dia após dia, acumulando emoções negativas, o que nos leva a um estado de absoluta incapacidade para lidar com este estado emocional negativo. Quando chegamos a este estado emocional, ficamos sem recursos mentais, sem energia para estabelecermos os nossos objetivos, para vivermos de uma forma feliz.

Sintomas mais comuns

A depressão é caracterizada sobretudo por sentimentos de tristeza, falta de esperança, desvalorização pessoal ou culpa, fadiga, irritabilidade, ideias de que já nada vale a pena, pensamentos acerca da morte, sem vontade de realizar atividades que anteriormente lhe davam prazer, com alteração do apetite (pode ser aumento ou diminuição), com alteração do ritmo do sono (dificuldade em adormecer, acordar muitas vezes durante a noite, ou achar que está sempre com sono e que dorme de mais).

Lembre-se: Muitas vezes, se levada ao extremo, pode existir um isolamento completo do resto do mundo, o que torna muito difícil a recuperação. Quanto mais precocemente se iniciar o tratamento, melhor serão os resultados.

 ANSIEDADE

“Se estamos deprimidos, é porque vivemos no passado. Se estamos ansiosos, vivemos no futuro. Quando estamos em paz, vivemos no presente”

A Ansiedade é um estado físico que deriva da emoção do medo. Sempre que temos medo geramos e sentimos os sintomas da Ansiedade, sendo que a sua intensidade varia de acordo com o grau de medo associado.

Sentimos medo sempre que prevemos sentir dor ou desconforto da experiência que vamos realizar no futuro próximo. Esta sensação de medo, de ansiedade, derivam das nossas experiências passadas, quando atravessamos situações semelhantes.

O medo e a ansiedade são estados absolutamente normais e desejáveis, que nos ajudam a ultrapassar más experiências. São processos que nos mantêm em alerta, criando no nosso corpo um estado de vigília, preparado para reagir a agressões exteriores, com maior agilidade de raciocínio, numa tentativa de, perante o medo, conseguir encontrar uma solução.

No entanto, esta ansiedade pode ser excessiva… A nossa mente, condicionada por experiências traumáticas do passado, pretende evitar a repetição deste tipo de acontecimentos, criando um nível de ansiedade que nos causa desconforto e nos bloqueia em vez de nos motivar e ajudar a encontrar uma solução.

Este estado de ansiedade arrastado durante muito tempo pode ser muito debilitante, fazendo com que a  pessoa perca uma boa parte da sua auto-estima e deixando de fazer certas coisas porque se julga ser incapaz de realizá-las.

Além disso, os sintomas de ansiedade podem transformar-se em sintomas físicos intensos, aumentando a preocupação da pessoa para com o seu estado de saúde.

Sintomas Mais Frequentes

Sensação de cansaço excessivo, perturbação do sono, falta de ar ou sensação de sufoco, formigueiros nas mãos e nos pés, instabilidade ou sensação de desmaio, dores no peito e palpitações, afrontamentos, arrepios, suores, frio, mãos húmidas, boca seca, tremores incontroláveis, tensão muscular e dor associada, necessidade urgente de urinar, sensação de ter um “nó” na garganta, vómitos incontroláveis, sensação de impotência.

Lembre-se: Quanto mais tarde for iniciado o tratamento, maior é a dificuldade de gerir os sintomas e atingir o sucesso terapêutico.

ATAQUES DE PÂNICO

Falamos em Ataque de Pânico quando se atinge um nível extremo de Ansiedade, com manifestações físicas intensas.

As pessoas podem sentir o primeiro episódio de Pânico em qualquer circunstância, como, por exemplo, a dormir, a conduzir, num centro comercial, em casa, a ver televisão. É muito comum acontecer em alturas de maior relaxamento, em que baixamos as nossas “defesas”, permitindo que esta libertação da ansiedade se manifeste.

O facto de este tipo de sintomas se apresentarem em situações inexplicáveis torna difícil ao doente perceber o que está a acontecer, qual é a causa subjacente a estas ocorrências.

Assim, quem sofre o primeiro evento traumático, associa inconscientemente os sintomas às circunstâncias onde estava, começando a fugir dessas circunstâncias para evitar sentir os sintomas. Como exemplo, se as pessoas têm um Ataque de Pânico a conduzir, desenvolvem um medo enorme de conduzir; se o primeiro Ataque de Pânico for num centro comercial, vão evitar espaços semelhantes no futuro; se tiverem um Ataque de Pânico e sentirem dificuldade em respirar, vão, no futuro, evitar espaços onde se sintam fechados sem arejamento, entre outras variadas situações normais que as pessoas com esta perturbação se sentem verdadeiramente impedidas de viver.

Não tratado, os ataques de pânico podem levar ao isolamento extremo, limitando de forma severa a pessoa para viver a sua vida.

Sintomas Mais Frequentes

Sentir que o coração está a bater muito rápido, suores, tremores, dificuldade em respirar e sensação de falta de ar, sensação de aperto ou dor no peito, náuseas, tonturas ou desequilíbrio, sensação de cabeça oca ou de desmaio, sensação de formigueiros no corpo, sensação de frio ou de calor, medo de morrer ou de enlouquecer.

AGENDE A SUA CONSULTA

Clique Aqui

OUTROS PROBLEMAS ABORDADOS EM CONSULTA

Desmame de BenzodiazepinasRemoção de Benzodiazepinas

O consumo de benzodiazepinas é um problema grave em Portugal. É um medicamento com indicação para ser utilizado em pequenos intervalos de tempo, existindo muitos doentes que o fazem de uma forma continuada, durante anos.

As benzodiazepinas estão associadas a problemas de memória a longo prazo, aumento do risco de morte por problemas cardiovasculares, aumento do risco de queda, entre outros problemas de saúde.

A sua remoção está dificultada porque é um fármaco que causa habituação, sendo que o doente refere muitas vezes sintomas compatíveis com síndrome de privação quando a sua remoção é brusca.

Na consulta com os nossos especialistas, estabelecemos um plano para a remoção gradual deste tipo de medicamento de forma segura, por forma a evitar outros problemas de saúde a longo prazo.

transtornos-alimentares-620x413

Transtornos Alimentares

Disfunção alimentar, ou transtorno alimentar, é um termo amplo usado para designar qualquer padrão de comportamentos alimentares que causam severos prejuízos à saúde de uma pessoa. Geralmente apresentam as suas primeiras manifestações na infância e na adolescência. O diagnóstico precoce e uma abordagem terapêutica adequada dos transtornos alimentares são fundamentais para o sucesso terapêutico.

Aproximadamente 90% dos casos são de mulheres jovens, no entanto está a aumentar no número de transtornos em homens e em adultos de ambos os sexos. Estes problemas atingem, neste momento, entre 1 e 4%.

Os principais transtornos geridos nas nossas consultas são:

  • Anorexia;
  • Bulimia;
  • Transtorno da compulsão alimentar periódica;
  • Transtorno obsessivo compulsivo por alimentos.

Pin It on Pinterest