221 118 413 (08.00h às 23.00h) geral@ptmedical.pt

Estou com Gripe ou Constipação?

Descubra as Diferenças!

 

Introdução

Quando acordamos com tosse, espirros, febre e dores musculares, ficamos na dúvida se estamos constipados (com um resfriado) ou se estamos com gripe.

É importante saber a diferença entre a gripe e o resfriado comum/constipação porque apesar de serem doenças parecidas, a gravidade é diferente.

Em primeiro lugar, temos a duração da doença. Enquanto os sintomas da constipação se mantêm durante aproximadamente 7 dias, os sintomas de gripe podem manter-se por vários dias ou mesmo semanas.

Em segundo lugar, tanto a constipação como a gripe são doenças auto-limitadas na maioria dos casos. No entanto, a gripe pode evoluir para outros problemas de saúde mais graves, como é o caso da pneumonia, necessitando por vezes de internamento.

Quais são os sintomas do resfriado comum/constipação?

Os sintomas da constipação geralmente começam com uma dor de garganta, com uma duração de um dia a dois dias. Por volta do terceiro, quarto dia, surgem os sintomas nasais, como o pingo no nariz e a congestão nasal, associado a uma tosse. O muco nasal pode ser esverdeado ou amarelado. Isso não significa que haja uma infeção bacteriana associada nem sinaliza a necessidade de antibiótico.

A febre, quando aparece, tende a ser relativamente baixa nos adultos. As crianças são mais propensos a fazer febres mais altas com a constipação.

Várias centenas de vírus diferentes podem causar constipação e durante os três primeiros dias, quem está constipado é contagioso.

Após a resolução do quadro clínico, a tosse pode manter-se durante mais algum tempo, podendo demorar mais de 3 semanas a desaparecer completamente.

Quais são os sintomas comuns da gripe?

Como descrito anteriormente, os sintomas da gripe são geralmente mais graves do que os sintomas da constipação e aparecem de forma mais brusca. Os sintomas incluem a dor de garganta, febre (habitualmente mais alta), dores de cabeça, dores musculares, congestão nasal (habitualmente menos intensa) e tosse.  Também pode estar associada a diarreia e vómitos.

A maioria dos sintomas da gripe melhoram gradualmente ao longo de dois a cinco dias, mas não é incomum sentir-se adoentado por uma semana ou mais.

Uma complicação comum da gripe é a pneumonia, especialmente nos extremos de idade, ou seja, nas pessoas mais jovens e nos mais idosos. Além disso, pessoas com problemas pulmonares, cardíacos ou com problemas imunitários também estão em maior risco. Se existir falta de ar associada aos outros sintomas, será importante consultar o médico. Outro sinal comum de pneumonia associada à gripe é a febre que volta depois de ter desaparecido durante um ou dois dias.

Assim como os vírus da constipação, o vírus da gripe infeta-nos através das membranas mucosas do nariz, olhos ou boca, sendo altamente contagioso nos primeiros dias de doença.

Como podemos prevenir ficar constipados ou engripados?

Existem algumas medidas básicas de higiene que podem ajudar a diminuir o risco de ficarmos constipados ou engripados ou, se estivermos doente, impedir a transmissão aos nossos familiares mais próximos.

Como primeira medida, é fundamental lavar as mãos com frequência – é uma das vias de contato frequente entre as pessoas.

Outra medida básica é evitar o contato próximo com alguém que está doente, principalmente nos primeiros dias da doenças.

As pessoas que tem fatores de risco, como doenças respiratórias, cardíacas ou problemas do sistema imunitário, devem tomar a vacina anual contra a gripe, apesar de a sua eficácia não estar garantida por diversos fatores, que poderemos falar no futuro.

Como se trata a constipação e a gripe?

O tratamento das duas doenças é muito semelhante.

Ambas as doenças, como referido anteriormente, são auto-limitadas na grande maioria dos casos. Ou seja, com o tempo acabarão por desaparecer sem qualquer tipo de intervenção médica.

O papel do médico, no tratamento da constipação e da gripe é apenas de controlo dos sintomas e despiste dos sinais de alarme.

Os doentes devem descansar, ingerir muitos líquidos e manter a alimentação dentro do possível, comendo o que apetecer mais.

Caso exista uma congestão nasal, é fundamental uma boa higiene nasal, utilizando água do mar ou soro fisiológico. Poderemos utilizar descongestionantes nasais por um curto período de tempo (nunca superior a 5 dias).

Se existir febre alta, cefaleias e dores musculares, podemos prescrever o Paracetamol de 8 em 8 horas. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o paracetamol não controla apenas a febre, também tem efeito analgésico. Deverá ser a primeira opção na grande maioria dos casos.

Caso haja uma tosse, não devemos tomar medicamentos para parar a tosse. A tosse é um mecanismo de proteção, impedindo que as secreções se acumulem nos pulmões e causem infeções mais graves.

Para a gripe, existe de facto antivíricos que poderão ser administrados no caso de gripes que evoluíram de forma desfavorável. No entanto, a eficácia destes medicamentos tem vindo a ser muito contestada pela fraca qualidade dos estudos existentes acerca deste assunto. Neste momento, só em casos muito raros é que se deverá considerar esta opção.

Quando é que devemos consultar um médico?

Se tem gripe ou sintomas de constipação, é importante consultar um médico (fora da urgência!) se existir algum dos seguintes sintomas:

A febre persistente: A febre que dura mais de cinco dias pode ser um sinal de uma infecção bacteriana secundária.

Dor ao engolir: É um sintoma típico da constipação e da gripe. No entanto, se a dor for intensa e existir mau hálito associado poderá existir uma faringite ou amigdalite bacteriana,  necessitando de antibioterapia.

Tosse persistente: Quando uma tosse não vai embora depois de três, quatro semanas, será importante consultar um médico para excluir outras causas potenciais de tosse como o gotejamento pós-nasal, a sinusite ou rinite alérgica ou mesmo uma asma que agravou após a constipação ou gripe.

Congestão nasal persistente e dores de cabeça: Quando estas doenças causam congestão nasal,  podem levar a uma infecção secundária dos seios nasais, a chamada sinusite. Se existir dor ao redor dos olhos ou mesmo na face, com corrimento nasal grosso, que escorre apenas de uma narina, poderá existir uma sinusite bacteriana, necessitando de tratamento antibiótico.

Em alguns casos, pode precisar de receber atendimento em contexto de urgência!

Nos adultos, os sinais de uma crise incluem:

  • Dor intensa no peito;
  • Forte dor de cabeça;
  • Falta de ar;
  • Confusão;
  • Vómitos persistentes.

Nas crianças, os sinais adicionais de uma situação de emergência são:

  • Dificuldade em respirar ou respiração rápida;
  • Cor de pele azulada;
  • Ingestão deficiente de líquidos;
  • Criança que não brinca, que não responde a estímulos;
  • Extrema irritabilidade ou sofrimento;
  • Os sintomas que foram melhorando e, de repente, pioraram;
  • Febre com uma erupção cutânea associada.

Se tiver dúvidas, consulte os nossos médicos. Sempre dispostos a ajudar.

Dr. João Júlio Cerqueira – Especialista em Medicina Geral e Familiar

Pin It on Pinterest

Gostou do Artigo?

Partilhe com os Seus Amigos!