221 118 413 (08.00h às 23.00h) geral@ptmedical.pt

Anorexia Nervosa

O que é a anorexia nervosa? 

A anorexia é uma perturbação alimentar de origem psicológica que pode causar complicações a nível físico, pondo em risco a vida da pessoa.

Esta perturbação provoca um grande medo de ganhar peso, o que faz com que limite severamente a quantidade de comida ingerida e controle minuciosamente as calorias dos alimentos. Muitas vezes quem sofre de anorexia pratica exercício físico em excesso, de forma pouco saudável, numa tentativa de queimar todas as calorias consumidas.

 

Quais são os sintomas?

Como identificar a anorexia nervosa

Pessoas afetadas por anorexia fazem grandes esforços para esconder o seu comportamento da família e amigos. O principal sintoma é a perda de peso exagerada, de forma voluntária.

Se desconfia que alguém sofre de anorexia esteja atento aos seguintes indícios:

  • Negação que está com um peso muito baixo para a sua idade ou altura, ou que tem um problema com a comida;
  • Comer muito pouco, ou nada, ou restringindo certos alimentos;
  • Contar calorias;
  • Evitar comer ao pé de outras pessoas ou cortar a comida em pedaços muito pequeninos;
  • Ser obcecada com exercício físico;
  • Tomar comprimidos para reduzir o apetite ou diuréticos (medicação que ajuda a remover os líquidos do organismo).

Às vezes comem de forma exagerada e fazem de tudo para se verem livres da comida, incluindo a utilização de laxantes e a indução do vómito.

Possíveis sinais de alerta para vómitos induzidos:

  • Deixar a mesa imediatamente após as refeições;
  • Dentes em mau estado geral e mau hálito provocado pelo frequente contato do ácido do estômago com a boca;
  • Feridas ou pele endurecida nos nós dos dedos, provocados pela sua introdução na garganta.

Apesar de anorexia significar  “perda de apetite”, os anoréticos não perdem o apetite – eles gostam de comida e sentem-se com fome. Muitas vezes, é difícil para o anorético falar de outra coisa que não seja comida e não é infrequente passarem muito tempo a ler livros de culinária e receitas.

As pessoas com anorexia muitas vezes acreditam que o seu valor como pessoa relaciona-se diretamente com o seu peso e com a sua imagem. Acham que as outras pessoas terão mais consideração e afeto se forem pessoas magras.

É comum uma distorção da sua imagem corporal, achando sempre que estão gordas. No entanto, poderão tentar esconder o quão magras estão através da utilização de roupas largas.

Muitas praticam o chamado “body checking”, que envolve comportamentos repetidos de:

  • Pesarem-se;
  • Medirem-se, principalmente a nível da cintura;
  • Olharem para o seu corpo no espelho.

Os anoréticos têm normalmente uma baixa autoestima e confiança. Eles podem afastar-se dos familiares e amigos, tornando-se mais distantes.

Poderão ter dificuldades na escola, com menor capacidade de concentração nas aulas e desistirem de atividades das quais gostavam.

Sintomas físicos, devido à restrição alimentar extrema:

  • Crescimento de pêlo corporal extremamente fino, chamado lanugo;
  • Aparecimento de mais pêlo na cara;
  • Pêlo púbico torna-se mais fino e escasso;
  • Perda da menstruação;
  • Sentir frio constante;
  • Dificuldade em dormir;
  • Obstipação ou dor abdominal;
  • Tensão arterial baixa, diminuição dos batimentos cardíacos e desmaios;
  • Cansaço;
  • Dificuldades de concentração.

Quais as causas?

Não existe uma única causa para a anorexia. Esta parece ser causada por uma combinação de fatores biológicos, ambientais e psicológicos.

Em termos psicológicos

Os anoréticos partilham algumas características que ajudam a definir a sua personalidade e de certa forma, o seu comportamento. Estes incluem:

  • Tendência para a ansiedade e depressão;
  • Lidar mal com o stress;
  • Preocupação excessiva e medo relativamente ao seu futuro;
  • Tendem a ser perfeccionistas;
  • Inibição – controlam o seu comportamento e as suas expressões emocionais;
  • Comportamentos de obsessão e compulsão.

Culto do corpo aumenta aparecimento da anorexia

Em termos ambientais

A puberdade é um dos fatores que mais contribuem para o aparecimento de anorexia. Pode ser uma combinação de sentimentos de stress, ansiedade, baixa autoestima que levam a esta doença. A cultura ocidental tem um papel muito importante, tendo em conta a pressão constante da comunicação social para as mulheres serem magra e bonitas, ou caso contrário, nunca serão felizes.

Por outro lado, as revistas e jornais acentuam de forma constante pequenas imperfeições físicas das celebridades, como a celulite ou algum peso a mais, reforçando esta cultura da perfeição.

Outros fatores ambientais que mais contribuem são:

  • Um evento de vida stressante como perder o emprego ou terminar uma relação;
  • A perda de um ente querido;
  • A pressão e stress na escola, como os exames ou ser vítima de bullying;
  • Relações familiares complicadas;
  • História de abuso físico ou sexual.

A componente biológica

 O cérebro precisa de uma nutrição saudável para funcionar normalmente. Ele utiliza 20% das calorias que comemos! A dieta extrema interfere com as funções cerebrais, levando ao agravamento dos sintomas da anorexia.

Além disso, a ausência de alimento também leva a alterações hormonais, que podem afetar o funcionamento cerebral. Pensa-se que as alterações hormonais levam a um aumento da sensibilidade do cérebro a um aminoácido presente em quase todos os alimentos, o triptofano.

Esta sensibilidade aumentada causa emoções de ansiedade em pessoas anoréticas quando comem. Pelo contrário, a dieta e o exercício físico excessivo diminui os níveis de triptofano, fazendo com que a pessoa se sinta mais calma e relaxada, levando à perpetuação do comportamento do anorético. 

Qual o tratamento da anorexia?

Para o tratamento ser bem sucedido, recorre-se muitas vezes a uma equipa multidisciplinar. Normalmente o tratamento ocorre com o doente em casa. No entanto, quando surgem problemas mais graves como perda de peso  excessivo podendo por em risco a vida da pessoa, o tratamento deve decorrer no internamento.

O principal objetivo do tratamento é recuperar um padrão e atitude de alimentação saudável. O tratamento deve ser iniciado o mais precocemente possível. Este tratamento inclui:

  • Tratamento psicológico;
  • Aconselhamento nutricional para um ganho de peso saudável e seguro.

O tratamento combinado é mais eficaz do que em separado.

Em termos psicológicos, pode utilizar-se várias abordagens:

  • Terapia cognitiva analítica;
  • Terapia cognitivo-comportamental;Como tratar a anorexia nervosa
  • Terapia interpessoal;
  • Terapia psicodinâmica focal;
  • Terapia familiar.

Terapia cognitiva analítica (TCA)

TCA baseia-se na teoria de que as condições de saúde mental, como a anorexia, são causadas por comportamentos e formas de pensar não saudáveis que se desenvolveram no passado, durante a infância.

O TCA envolve três passos:

  • reformulação – olhar para os eventos passados e explicar porque é que comportamentos pouco saudáveis se desenvolveram;
  • reconhecimento – admissão pelo doente que esse padrão comportamental contribuiu para o aparecimento de anorexia;
  • revisão – identificar alterações que o doente pode fazer para quebrar esses comportamentos incorretos.

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A TCC é baseada na teoria de que a forma como pensamos acerca de uma situação em concreto influencia o nosso comportamento. Por outro lado, a forma como nos comportamos pode afetar o que pensamos e sentimos.

O psicólogo mostra como os sintomas da anorexia estão frequentemente associados a pensamentos e crenças pouco saudáveis e irrealistas sobre a comida e dieta. Por exemplo, pensar que:

  • ganhar peso é a pior coisa que pode acontecer na vida ao anorético;
  • “toda a gente pensa que eu sou gordo”;
  • “se eu acabar a refeição completa, as pessoas vão pensar que sou egoísta e não valho nada”.

O papel do psicólogo é ajudar o anorético a adotar formas mais saudáveis e realistas de pensar, o que levará a comportamentos mais corretos.

Terapia interpessoal (TIP)

A TIP é baseia-se na teoria de que o mundo exterior e as nossas relações com as outras pessoas têm um efeito muito importante no estado da nossa saúde mental.

A anorexia está associada com a baixa autoestima, ansiedade e insegurança, causados por problemas de interação com as outras pessoas.

Durante a TIP, o terapeuta explora as questões negativas associadas às relações interpessoais e formas de o doente lidar com essas situações.

Terapia psicodinâmica focal (TPF)

A TPF é baseada na teoria de que a saúde mental poderá estar associada com conflitos não resolvidos que ocorreram no passado, normalmente na infância, que são posteriormente repetidos na vida adulta.

A TPF encoraja o anorético a pensar acerca das suas experiências na infância que poderá afetar o seu comportamento atual. Isto poderá ajudar o anorético a encontrar soluções para lidar com situações de vida stressantes e com sentimentos e emoções negativos.

Terapia Familiar

A anorexia não tem impacto apenas no indivíduo. Também tem um grande impacto no resto da família. A terapia familiar chama toda a família para discutir de que forma esta situação afeta a relação familiar e a encontrar soluções à resolução do problema.

Gerir expetativas

De forma geral, o tratamento para a anorexia é bastante difícil e exige trabalho árduo dos doentes e suas famílias. Às vezes existem expectativas irrealistas quanto ao tratamento, o que pode levar ao seu abandono quando o doente se apercebe o quão difícil é. O tratamento pode levar entre cinco a seis anos para atingir uma recuperação total e as recaídas são comuns. Cerca de metade das pessoas com anorexia continuarão a ter problemas com a alimentação apesar do tratamento.

Fato curioso: A anorexia também afeta os homens, mas 85-95% casos são diagnosticados em mulheres.

 

A PT Medical dispõe de Psicólogos, Nutricionistas e Médicos capacitados para lidar com esta situação. Contate-nos e fique a saber mais.

 

  – Dra. Ermelinda Pires Psicóloga –

Pin It on Pinterest

Gostou do Artigo?

Partilhe com os Seus Amigos!