Quero Manter-me Jovem!

Introdução

A preocupação com a aparência é algo transversal na sociedade atual.

Caraterística quase exclusiva das mulheres no passado, hoje em dia essa diferenciação já não faz sentido. Homens, mulheres, novos e velhos, todos procuram sentir-se bem com a sua aparência e consigo mesmo.

O envelhecimento e as diferentes formas de “atrasar a sua chegada” é um dos focos centrais e a prevenção é sem dúvida a arma mais eficaz à nossa disposição.

Todos nós nos queremos sentir jovens durante o máximo de tempo possível! Quanto mais cedo trabalharmos nesse sentido, mais resultados vamos obter.

Por essa razão, deixo algumas dicas nutricionais que se adequam principalmente a homens e mulheres entre os 20 e os 59 anos, faixa etária em que estas mudanças alimentares terão mais impacto. No entanto, mesmo pessoas com idade mais avançada poderão beneficiar destes conselhos.

Quais são os alimentos a consumir?

O foco principal é o consumo de alimentos ricos em antioxidantes. Estes nutrientes ajudam a proteger todo o organismo dos efeitos dos radicais livres de oxigénio e outras substâncias que têm um papel central no processo de envelhecimento.

Os nutrientes mais importantes são a vitamina A, C e E, Betacarotenos, Selénio, Zinco, Cobre,  Isoflavonas e Flavenóides.

Listamos os alimentos que estão amplamente disponíveis e que maior concentração têm deste tipo de substâncias:

1. Alimentos com vários antioxidantes: abacates, amoras, framboesas, morangos, couves, cenouras, citrinos, uvas, cebolas, salsa, espinafres e tomates;

2. Ricos em betacarotenos: frango, fígado, cenouras, produtos lácteos, frutas e legumes amarelos e de folhas verdes;

3. Ricos em vitamina A: figado, ovo, agrião, couve, espinafre, cenoura, manga, tomate, abóbora;

4. Ricos em vitamina C: laranjas, kiwis, morangos, ervilhas, pimentos verdes, espargos e tomates;

5. Ricos em vitamina E: sementes de girassol, azeite virgem, atum em azeite, amendoins, cereais integrais, espargos e peixe;

6. Ricos em selénio: gérmen e farelo de trigo, cebolas, alhos, tomates, bróculos e levedura de cerveja;

7. Ricos em zinco: crustáceos, levedura de cerveja, gérmen de trigo, ovos e leite;

8. Ricos em cobre: fígado, peixe, mariscos, cereais integrais e vegetais verdes;

9. Ricos em isoflavonas: soja e derivados.

O que se deve evitar?

O consumo excessivo de álcool – não deve ultrapassar as duas doses diárias; Se tomar a opção de consumir álcool, prefira o vinho tinto. Uma taça de vinho tinto por dia impede o depósito de gordura no fígado. Além disso, vinho tinto possui polifenóis, que são substâncias responsáveis pela prevenção de doenças cardiovasculares através de sua acção antioxidante. O sumo de uva também possui essas substâncias, mas de acordo com pesquisas, o vinho apresenta uma vantagem sobre o sumo de uva. O vinho tinto aumenta o bom colesterol (HDL) e pensa-se que poderá melhorar o efeito protetor.  Além disso, o vinho é uma das bebidas alcoólicas que possui menos calorias.

O tabagismo é uma das causas principais do envelhecimento precoce. Se realmente se preocupa com a sua aparência, deixar de fumar é o primeiro GRANDE PASSO.

stress e ansiedade em demasia aceleram o processo;

A contaminação ambiental – poluição atmosférica, água contaminada, comida de qualidade questionável têm várias substâncias que são prejudiciais à saúde e aceleram o envelhecimento;

Alimentação rica em gordura;

Alimentação com pouca variedade;

Excesso de sol – é um dos principais fatores que levam ao envelhecimento precoce da pele. Além disso, as queimaduras solares são extremamente prejudiciais à pele, não só por causa do envelhecimento mas pelo aumento do risco de cancro de pele. (Saiba mais aqui)

Recomendações gerais

Para além das recomendações acima descritas, a prática de exercício moderado (caminhadas ligeiras 30 a 45 minutos, 3 a 5 vezes por semana) é fundamental para manter uma pele saudável, ajudando a libertar toxinas através do suor e diminuindo o stress, para além de muitas outras vantagens. (Saiba mais aqui)

E os Suplementos Vitamínicos?

Em condições normais, não são necessários suplementos vitaminicos. O seu uso pode mesmo trazer consequências negativas. No entanto, podem ser necessários suplementos vitaminicos para pessoas com idades avançadas e desportistas, dependendo de situações concretas que devem ser avaliadas por profissionais de saúde.

Para obter uma dieta personalizada ao seu estilo de vida, gostos e necessidades nutricionais, contacte as nossas Dietistas.

– Dra. Ana Rodrigues Dietista/Nutricionista –

PARTILHAR

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email